AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL AO CALOR EXEPERIMENTADA POR OPERADORES DE CALDEIRAS A LENHA

Autores

  • Edimar Natali Monteiro Centro Universitário do Espírito Santo - UNESC
  • Carlos Marcelo Pereira Centro Universitário do Espírito Santo - UNESC
  • Endrik Nardotto Rios

Palavras-chave:

risco ambiental, insalubridade, aposentadoria especial, IBUTG.

Resumo

São vários os riscos ambientais aos quais um trabalhador pode estar exposto em seu ambiente laboral, dentre eles o calor. Esse agente físico pode desencadear muitos efeitos adversos em seu organismo tais como desidratação, câimbras, edemas, choque térmico, exaustão, insolação. Na pesquisa em apreço procedeu-se uma avaliação quantitativa da exposição ocupacional ao referido agente físico experimentada por um operador de caldeira à lenha que labora em uma indústria alimentícia localizada no município de Colatina/ES. A metodologia adotada para a caracterização da exposição ao calor foi aquela definida pelo Anexo n.º 3 da Norma Regulamentadora n.º 15 do Ministério do Trabalho, ao passo que os procedimentos empregados para a realização das medições foram norteados pela Norma de Higiene Ocupacional n.º 06 da Fundacentro. Os resultados mostraram que as condições observadas expõem o trabalhador a uma carga térmica acima dos limites de tolerância estabelecidos pelo Ministério do Trabalho. Por fim, medidas de controle foram propostas de acordo com a hierarquia estabelecida pela regulamentação desse órgão governamental.

Downloads

Publicado

2018-12-07

Como Citar

Monteiro, E. N., Pereira, C. M., & Rios, E. N. (2018). AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL AO CALOR EXEPERIMENTADA POR OPERADORES DE CALDEIRAS A LENHA. Unesc Em Revista, 2(1), 34–50. Recuperado de http://revista.unesc.br/ojs/index.php/revistaunesc/article/view/46

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)