Avaliação do conhecimento da população de Colatina -ES sobre os efeitos da luz ultravioleta e visível

Autores

  • Pedro Barros Haussmann Centro Universitario do Espirito Santo
  • Herivelto Santos Almeida Centro Universitário do Espirito Santo-UNESC
  • Orlando Chiarelli Neto Centro Universitário do Espirito Santo-UNESC

Palavras-chave:

Irradiação, Protetor solar, Câncer de pele

Resumo

Doses elevadas de luz solar pode gerar envelhecimento e câncer de pele.  Para evitar lesões celulares, filtros solares são utilizados como forma de proteção. Colatina é um município que apresenta indivíduos que trabalham no campo e na construção civil e que se expõem ao sol. No entanto não se conhece os índices de proteção solar da população de Colatina. Um estudo transversal quantitativo foi investigado com pacientes do Unesc-Saude quanto ao conhecimento e comportamento da população frente à exposição solar. Os resultados mostraram que as mulheres têm mais cuidados com a proteção da pele em relação aos homens e que o uso de protetor solar está diretamente relacionado a taxa de escolaridade. O estudo portanto mostra que homens acima de 50 anos e de baixa escolaridade apresentam maiores riscos de  envelhecimento precoce  e câncer de pele.

Biografia do Autor

Pedro Barros Haussmann, Centro Universitario do Espirito Santo

Graduando em Medicina no Centro Universitário do Espírito Santo

Herivelto Santos Almeida, Centro Universitário do Espirito Santo-UNESC

Especialista em Educação Matemática pela FIJ - Faculdades Integradas de Jacarepaguá 

Orlando Chiarelli Neto, Centro Universitário do Espirito Santo-UNESC

Doutor em Bioquímica pela Universitade de São Paulo - USP

Downloads

Publicado

2017-06-22

Como Citar

Haussmann, P. B., Almeida, H. S., & Chiarelli Neto, O. (2017). Avaliação do conhecimento da população de Colatina -ES sobre os efeitos da luz ultravioleta e visível. Unesc Em Revista, 1(1), 37–51. Recuperado de http://revista.unesc.br/ojs/index.php/revistaunesc/article/view/15

Edição

Seção

Artigos