IDOSOS EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA: UM DISCURSO DA ADAPTAÇÃO FRENTE A UM NOVO TERRITÓRIO.

Autores

  • Luciano Antonio Rodrigues Centro Universitário do Espírito Santo - UNESC Docente Pesquisador http://orcid.org/0000-0001-5758-456X
  • Luiz Fernando Perrugia Enfermeiro das Estratégias Saúde da Família da Prefeitura Municipal de Marilândia - ES.
  • Adriene de Freitas Moreno Rodrigues Centro Universitário do Espírito Santo Docente Pesquisadora http://orcid.org/0000-0001-5028-3262
  • Letícia Cláudio Centro Universitário do Espírito Santo Acadêmica de Enfermagem Aluna Iniciação Científica

Palavras-chave:

asilo, saúde mental, comportamento, novo lugar

Resumo

Nas últimas décadas o mundo sofreu uma rápida transição demográfica em relação a população idosa, fenômeno este que modificou a demografia de inúmeros países, principalmente os mais desenvolvidos. Outro fenômeno notável é que com o aumento dessa população também começaram a se proliferar as Instituições de Longa Permanência para idosos, órgãos estes destinados a atender essa população. No entanto, principalmente em países em desenvolvimento ainda há uma cultura de exclusão da sociedade com os idosos, que sem outra alternativa, acabam indo parar em uma Instituições de Longa Permanência para idosos. O  objetivo deste estudo é descobrir o significado de território para idosos admitidos recentemente em uma Instituições de Longa Permanência para idosos, e o impacto do novo território pode influenciar em seu estado emocional. Estudo exploratório, transversal de abordagem qualitativa e de natureza descritiva. Na coleta de dados utilizou-se uma entrevista semiestruturada. Participaram do estudo nove idosos residentes em uma Instituição de Longa Permanência do município de Colatina – ES. Os dados foram submetidos à técnica de análise de conteúdo (Bardin). Foi-se constatado que todos os idosos em maior ou menor grau estavam sofrendo psicologicamente com a ausência do seu território (residência) e da família e que, praticamente todos desejavam ou nutriam o desejo de retornar para casa. Conclui-se que é preciso uma reformulação urgente no modelo de atenção das Instituições de Longa Permanência para idosos, é preciso buscar políticas alternativas, menos excludentes, para que assim os idosos possam desfrutar de uma melhor qualidade de vida.

Biografia do Autor

Luciano Antonio Rodrigues, Centro Universitário do Espírito Santo - UNESC Docente Pesquisador

Doutorando em Ciências da Saúde - Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC-SC), Mestre em Gestão Integrada do Território - Universidade Vale do Rio do Doce (UNIVALE - MG) (2013). Especialista em Educação Profissional na Área de Saúde: Enfermagem, pela Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca - Fiocruz (2003). Especialista em MBA: Gestão de Pessoas, ênfase na Psicologia Organizacional (UNESC-ES) (2012). Aperfeiçoamento em Dimensões da humanização: filosofia, psicanálise, medicina pela UFES (2009). Graduação em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) (2002). Atualmente é Docente do Centro Universitário do Espírito Santo - UNESC - campus I - Colatina - ES, atuando docência de cursos da área de saúde. Coordenador do Núcleo Rondon UNESC. Pesquisador Líder do Grupo de Pesquisa Território Saúde e Sociedade. Membro do grupo de pesquisa UNESC e da Coordenação de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão (CEPEG). Diretor Presidente dos Escoteiros do Brasil - ES. Diretor de Formação de Adultos dos Escoteiros do Brasil - ES. Consultor e Facilitador de Treinamento e Desenvolvimento Profissional e Gerencial pela LR Treinamentos e Desenvolvimento (Sócio Proprietário) http://orcid.org/0000-0001-5758-456X

Adriene de Freitas Moreno Rodrigues, Centro Universitário do Espírito Santo Docente Pesquisadora

Mestre em Gestão Integrada do Território pela Universidade Vale do Rio Doce - UNIVALE (2013). Especialista em Saúde Coletiva com ênfase nas Estratégias de Saúde da Família pela EMESCAM (2008). Graduada em Enfermagem pela Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória - EMESCAM (2006). Possui aperfeiçoamento em Dimensões da humanização: filosofia, psicanálise, medicina (360 horas) pela UFES - UAB Sistema de Universidade Aberta do Brasil. Aperfeiçoamento em Educação Ambiental pela UFES -UAB. Epidemiologia e Saúde pública. Participação como Tutora no Curso de Especialização Gestão em Saúde UFES/UAB - 2012/2013 e como Curadora e Facilitadora da IV Mostra Nacional de experiências em atenção básica/saúde da família - Ministério da Saúde/ DAB - 2013/2014. Curadora do Prêmio InovaSUS 2015. Atualmente Professora no Centro Universitário do Espirito Santo - UNESC e Curadora na Comunidade de Práticas da Atenção Básica/DAB/ Ministério da Saúde, Brasil. Tem experiência em: Área de Enfermagem com ênfase em Estratégias de Saúde da Família, Saúde da Mulher, Epidemiologia. Área de Medicina de Família. Docência de Ensino Superior (Graduação e Pós Graduação em Enfermagem ) e Educação à Distância. http://orcid.org/0000-0001-5028-3262

Letícia Cláudio, Centro Universitário do Espírito Santo Acadêmica de Enfermagem Aluna Iniciação Científica

Acadêmica de Enfermagem do Centro Universitário do Espíriot Santo

Membro da Liga Acadêmica Interdisciplinar no Tratamento de Feridas - LAITF

Aluna Iniciação Científica do Grupo de Pesquisa Território, Saúde e Sociedade

Acadêmica do Núcleo Rondon UNESC.

Downloads

Publicado

2018-12-07

Como Citar

Rodrigues, L. A., Perrugia, L. F., Rodrigues, A. de F. M., & Cláudio, L. (2018). IDOSOS EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA: UM DISCURSO DA ADAPTAÇÃO FRENTE A UM NOVO TERRITÓRIO. Unesc Em Revista, 2(1), 1–15. Recuperado de http://revista.unesc.br/ojs/index.php/revistaunesc/article/view/17

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)